sábado, 12 de setembro de 2009

indefinível.




"Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta, o amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão, o verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar, ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, ou veste-se bem, isso são só referenciais, ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca..
Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.
Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC.
Ama-se justamente pelo que o amor tem de indefinível."

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

- quero o tal direito adquirido


"Quero andar torta por linhas direitas; [escolher meus caminhos] quero o tal do direito adquirido... e correr na contra mão! (...)querer por querer..."

[Flores no asfalto -do Zeca]

terça-feira, 1 de setembro de 2009

- 2 anos...



- Dois anos de "e agora José? Que a festa acabou"